You are currently browsing the tag archive for the ‘shortênis’ tag.

Engraçado que mulheres acessem o blog. E ainda comentam (cadê os homens que não postam!?).
Não achei que o blog fosse atrair esse público. Afinal, não é pornô e é voltado a quem tem fetiche.
Talvez o erótico já baste pra elas se setirem excitadas. Não sei…

Tem jogadores que ficam se pegando, se beijando… e fazendo outras coisas…
Tem jogador que gosta de moda e tem um belo guarda-roupa (vide Cristiano Ronaldo), cuja namorada terminou com ele por considerá-lo muito narcisista (entre outras coisas que ela disse, ele gostava de ficar se olhando no espelho sem camisa. Ah! Fala sério! E ela o deixou por isso!?!) .
Não que isso tenha a ver com homossexualidade. Inventaram o termo “metrossexual” pra isso. No caso desta post, o jogador de hockey no gelo Sean Avery acho que não é gay e nem deve curtir.
Mas, pelo que fez questão de deixar claro no editorial da Vogue, ele curte moda. Nas palavras dele: “Eu não assisto a esportes. Eu não leio sobre esportes… Eu não saio pra me divertir com outros atletas… Algumas pessoas duvidam se eu sou hétero; outros me dão elogios. Algumas mulheres acham isso excitante. O pessoal do meu time é ok com isso e apóia meu interesse em moda — algumas vezes até pedem conselhos sobre o que usar.”
Ele fez questão de bater foto pra matéria mostrando seu guarda roupa. Com um belo calção de basquete (tesão, largão e brilhante) e sem camisa (ele é jugador de hockey, mas lembram que eu falei que os americanos usam calção de basquete enquanto nós usamos de futebol?), posou em seu closet lotado de roupas.
Eu suspeito de quem tem muito tênis ou sapato… Eu não tenho muitos shorts “porque gosto de modo”, então, quem tem muito calçado… Alguém aí tem uma coleção assim? Fica a dúvida se ele tem ou não fetiche.

Poucas fotos. Mas algo assim merece um post 😉

Sportlad_uk

Voltando aos vendedores do eBay, esse é outro que eu curto ver os produtos.
Pra quem não sabe, eBay e o site de leilões estilo Mercado Livre, só que dos EUA e da Europa.
Eu curto passar lá porque encontro fotos que me excitam muito mais do que em outros sites que vejo por aí. Sempre dou uma busca por “shiny shorts” ou “nylon shorts” e vejo o que tem de bom. No caso, “shiny shorts“, quer dizer, literalmente “short brilhante”, mas também pode ser “short usado”, “short de segunda mão”, o que, no caso, vem bem a calhar. Só de imaginar que um outro cara gostoso já usou aquele mesmo short… hmmm…
No caso deste vendedor britânico (não sei se ele é inglês, galês, escocês ou irlandês) os shorts são todos retrôs, a maioria da década de 80. Simplesmente um tesão. E, pelas fotos, todos em excelente estado.
E ele não vende só calções, mas também camisetas de nylon (também tesão) e calças que eles chamam de waterproof, ou seja, calças impermeáveis. São calças que pouco se acha por aqui, no Brasil, e, quando se acha, são caríssimas. São praticamente feitas de plástico, que dá um puta tesão também. Tem um brilho e uma maciez diferente do nylon e tem um barulho característico do “plástico” bem gostoso. Pra quem curte shorts e tecidos sintéticos, a sensação é de estar usando um short até os pés. hehehe
Na página de apresentação própria do vendedor, ele diz que sempre curtiu roupas esportivas em geral, particularmente as de nylon brilhante e que, ao longo dos anos, foi criando uma coleção grande de roupas assim. Hmmm… sei… 😉 Feliz de quem compra 😉
Esse post tá carregado de fotos. Babem!

Calma, o blog não virou baixaria.
Se bem que fetiche por tênis tem virado coisa corriqueira ultimamente.
Já li em algum lugar que pés (e relacionados) são o fetiche mais comum. Não sei de onde tiraram esses dados (como contabilizar uma coisa assim? pesquisa Ibope? Acho que não… :P), mas a julgar pelo número de membros que curtem sneakers em comunidades como o Gear Fetish, talvez seja verdade. Há muitas comunidades de tênis no Orkut, algumas explicitamente fetichistas (“Curto tênis esporrado”, por exemplo) e outras (a maioria) dissimuladas (como as “Sou louco por Nike”, “Adoro meus tênis”).
Mas, como já comentei aqui antes, acho que aqui no Brasil, os caras curtem mais shorts, a julgar também pela quantidade de comunidades no Orkut, por exemplo (já que lá fora eles usam mais MySpace ou Facebook, enquanto Orkut só é popular por aqui) e pela quantidade de votos para tênis e chuteiras na enquete do blog. Acho que fato de sermos “o país do futebol” e a popularização dos shorts de nylon na década de 80 (que deixaram de ser roupa esportiva e passaram a ser roupa casual) também deve ter ajudado muito.
Voltando aos “sneakers“, ao contrário de fetiches como short, sunga ou cueca, o fetiche por tênis é facilmente dissimulável em simples mania. Afinal, os tênis estão lá embaixo, nos pés, longe da região erógena (pra maioria das pessoas, claro, não pra eles). Quem (que não se toca do fetiche) iria imaginar que um simples tênis ou chuteira ou chinelo pudesse ser algo tão erótico e que os caras iriam pô-los em outros lugares (como falarei no próximo post) que não os pés?
Numa matéria sobre uma feira de calçados que falava sobre o crescimento do setor no Brasil, o representante de uma das empreasa declarou: “É fetiche, né? Tudo que é fetiche vende.”
“Fetiche” pode significar muitas coisas, mas é claro que a conotação “fetiche sexual” (assim como outras palavras relacionadas a sexo) prevalece. E tenho certeza que era disso que o empresário estava falando.
Perceberam que, de uns anos pra cá, tem se falado muito em tênis, em “sneakers” (nem se conhecia esta palavra)? Muita propaganda, vinhetas na MTV, abertura de Malhação, capas de caderno, camisetas… Como é algo que representa algo despojado, casualidade, esportividade, estar dentro da moda, passa despercebido com algo sexual e a propaganda (principalmente norte-americana) tem investido muito nisso, vide a matéria com o jogador argentino abaixo, na galeria. Mas, sobre esse ponto, também falarei no próximo post.
Pra se ter uma idéia, no site SneakersBR, na parte do blog do documentarisa Edson Soares, há alguns depoimentos que comprovam algumas coisas que eu disse aqui. Na entrevista de Nicolas ele declara: “Eu fui descobrir que existia o termo [sneakerhead] faz dois anos. Foi em 2006, quando o site saiu, quando o Sneakers saiu, que eu vi que existiam outras pessoas que levavam tão a sério isso“.
“A sério”???? Faça-me o favor… E ele continua: “Antes, era, pô, eu sou um cara que gosta de tênis. Aí, depois do site [SneakersBR], pô, eu sou um ‘sneakerhead'”. Como assim “um cara que gosta de tênis”? Então eu sou “um cara que gosta de shorts”? hahaha
Já na entrevista com o Dj Marcus, o cara fala que saiu da balada, no meio do trampo, parou de discotecar pra comprar um tênis. Meu, fala sério, só no tesão por um short eu faria isso (e olhe lá!).
Não vou dizer que eu não curto tênis. Já disse aqui que tenho interesse. Mas, vamos ser honestos, né…? Como dizem por aí “Uma coisa é uma coisa. Outra coisa é outra coisa bem diferente”…

Não que eu goste lá muito de rugby… Um esporte esquisito que se joga com uma bola que não é redonda e que derivou outros esportes esquisitos, como o futebol americano e o futebol canadense (sabiam que existe um “futebol canadense”? Quase igual ao americano, só que com campo menor e algumas regras diferentes).
O que um bando de homens machistas e brutais se trombando e se agredindo atrás de uma bola pode ter de interessante para nós gays? Aí é que está: a princípio, pode parecer mesmo um bando de brutamontes, mas como a foto da abertura bem ilustrou, num olhar mais profundo, esse esporte tem um viés muito gay.
Se o futebol, como mostrado aqui no blog,  já tem uma conotação gay, imagina um monte de homens másculos com corpos musculosos (ok, algumas vezes gordos também…) se esfregando e se pegando sem o menor pudor! Quem fez este wallpaper tá de parabéns!!
E, no caso, minha ingidignação com o fato de o Brasil não ter expressividade no rugby, se refere, é claro, ao uniforme dos jogadores! 😉
Enquanto ingleses, australianos e até nossos vizinhos argentinos têm grandes times e são fãs do esporte, aqui, meia dúzia de gatos pingados sequer conhece o jogo, que dirá jogam. Portanto não há uniformes pra vender… E os shorts de rugby (não só o short, como também a camiseta, muitas vezes) ainda são brilhantes, macios e sedosos… Muito bons. Com um corte quadrado e curtinhos, lembram os shorts retrôs da década de 80. Quem não vê nada demais em short, toda vez que vê imagens de arquivo daquela época, ri ou acha aqueles calções ridículos. Mas, pra quem tem tesão, aquilo é bom demais. E os shorts de rugby são como se fossem shorts retrôs nos dias de hoje: curtinhos, brilhantes, delineando muito bem as curvas dos jogadores…!
E tem mais: assim como no Brasil o uso do short como roupa casual se tornou popular por causa do futebol (não é assim nos EUA, por exemplo, onde são mais comuns os shortões de basquete), na Austrália, na Nova Zelândia e na África do Sul o que os caras usam são os shortinhos minúsculos de rugby. Então, você não imagina o delírio que não deve ser para os sul-africanos, australianos e neo-zelandeses que curtem calções hehehe.
A nós, brasileiros (portugueses, cabo-verdianos, angolanos e moçambicanos que também visitam o blog) restam essas fotos pra nos “animar”.

Como comentei nos últimos dois posts, eu gosto mesmo é de short largo e/ou comprido. Talvez porque usei, durante muito tempo, shorts de tamanho maior que o meu. Mas a sensação de ter mais tecido macio e gostoso no seu corpo é ótima. Uma vez um cara me disse que shorts e bermudas são as “saias” do homem. Sei lá, saias não me interessam. Mas que é confortável e também um tesão um short bem largo, fresco, pra mim é.
Mas, não posso deixar de reconhecer o valor dos shorts curtinhos (como os retrôs da década de 80, que têm até um Marcador especial aqui) de corrida/atletismo.
Tenho amigos que participam de maratonas e, quando eles vão pegar os kits de corrida no Ibirapuera, fico louco quando passo por aquele monte de camelôs aproveitando pra ganhar um extra vendendo shorts de última hora. Cada short tesão. Muitos ainda com o brilho e a maciez do nylon. Não compro uma porrada pra não dar muito na cara (e também não vou torrar minha grana só com isso).
Enfim, vai dizer que não é uma delícia ver um cara como esse aí com esse shortinho minúsculo?
Melhor que isso, só ver competições na TV em dia de chuva, como aconteceu nas últimas Olimpíadas. Nem precisa estar chovendo pra os atletas se molharem, porque eles usam a água pra se hidratar e manter a temperatura do corpo (por meio da evaporação da água). Mas, em Pequim, numa das duas provas de marcha atlética, os marchadores simplesmente cruzaram a linha de chegada encharcadaços por causa do toró que caiu. Um tesão pra mim (short+roupa molhada = 🙂 ), como dá pra conferir pelas fotos abaixo.
Todos eles rebolando (sabendo que são héteros) e ensopados,  foi uma delícia de ver!

Eu corro de vez em quando e uso algum dos meus shorts retrôs, como o verde do cara da foto, porque o nylon é muito melhor (ninguém bate aquele nylon até hoje) e é muito mais legal correr com uma peça vintage da Adidas, da Umbro, do que com algo recém-lançado.

Atenção! Olha lá, hein!

Esta página contém textos e fotos de caráter ADULTO e de conteúdo GAY. Portanto, menores de 18 anos ou heterossexuais se que não se sintam à vontade com o tema NÃO DEVEM navegar pelo blog, ok?
maio 2017
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

  • 6,251,737 acessos

Os mais clicados

Visitas